jusbrasil.com.br
17 de Junho de 2021

A Advocacia Criminal é para amadores

Esqueça frases prontas sem contexto e jamais sinta vergonha de ser um profissional inexperiente. Ninguém nasceu sabendo!

Daniele Augusto, Advogado
Publicado por Daniele Augusto
há 2 meses

Segundo o dicionário, amador é aquele que ama. No sentido pejorativo é o inexperiente, incompetente, aquele que não domina a técnica do ofício.

É frequente lermos e ouvirmos que "a advocacia criminal não é para amadores". Só isso. Uma frase, supostamente cheia de um misterioso significado, apenas jogada no turbilhão da internet.

Não quero puxar a orelha de colega experiente que não sabe contextualizar suas críticas. Quero falar com a jovem advocacia, que sai da faculdade exalando idealismo e imaginando o futuro a partir do seu sonho de ser advogado criminalista, e toma esse banho d’água fria.

Se nós, que somos bacharéis em Direito, fomos aprovados no exame da OAB e estamos regularmente inscritos no devido órgão não podemos advogar na área criminal, quem pode?

A ideia de acolhimento precisa ser efetiva e, portanto, imediatamente vencer esse obstáculo que é a petulância do "tu nada sabe e eu prefiro te criticar ao invés de ensinar-te". Ademais, se não quer ajudar, que ao menos não atrapalhe!

Não se deixem dominar pelo desânimo que esse tipo de sentença descontextualizada pode causar: todo mundo começou da inexperiência, do absoluto zero. Nenhum de nós nasceu sabendo, dominando o beabá da prática criminal. É natural ter dúvidas sobre variadas situações, ainda que você tenha o privilégio de ser assistido por um profissional mais experiente.

Não há meio de que você adquira experiência sem que possa ver com seus próprios olhos as diferenças entre teoria e prática. Como bem me disseram durante a graduação, advogar se aprende advogando.

Assim, como poderia ser razoável exigir experiência para que se adquira experiência?

A advocacia criminal certamente não é para covardes, nisso eu concordo plenamente. É preciso ter coragem para adentrar nesse mundo de ostentação e brilhantismo de palco, e adquirir a sua experiência, através dos inúmeros percalços que se imporão. Mas, diferente do que nos é incansavelmente repetido, a advocacia criminal precisa ser para amadores, para que deixem de ser amadores.

Acredito que a intenção ao dizer que "a advocacia criminal não é para amadores" é esclarecer a importância da responsabilidade, inerente ao ofício - em especial por lidar com liberdades -, de estar atento aos detalhes que farão imensa diferença na vida do cliente e de sua família.

Então que tenhamos responsabilidade para transmitir nossas opiniões e formular nossas críticas. A perspectiva que apresenta seus porquês tem o condão de gerar reflexões, com real poder modificador sobre o modo pelo qual aquele profissional vai exercer a sua advocacia.

É preciso saber dar exemplo até na crítica. Se queremos advogados criminalistas melhores, precisamos começar nos melhorando.

A advocacia criminal é para amadores sim! Para aqueles que amam o futuro que escolheram para si, que estão felizes por finalmente ser o momento de poder chamar esse futuro de presente, para os que têm coragem de começar sem apadrinhamentos - com a cara e a coragem -, para amadores temporários, sangue novo, comprometido.


Gostou? Recomende a leitura!

Compartilho conteúdo sobre as ciências criminais diariamente lá no meu Instagram: @adanieleaugusto

0 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)